Monday, December 31, 2007

Desafio da Blue Velvet


Desafio da Blue Velvet que resolvi aceitar.

Vou deixar-vos uma série de perguntas, que vos peço que transportem para os vossos blogs e que respondam. Podem fazê-lo a sério ou com humor. Em qualquer dos casos, servirá para todos reflectirem no que foi o Ano que finda e para eu vos conhecer melhor.

Aqui ficam as perguntas:

O que fizeste em 2007 que nunca tinhas feito antes?
Viajado imenso

Manteve as resoluções de ano novo de 2007 e farás novas para 2008?
Não faço nada disso

Que Países visitaste?
França e E.U.A.

O que gostarias de ter em 2008 que faltou em 2007?
Um gato

Que data de 2007 vai ficar marcada na tua lembrança?
Duas: Maio por um mau motivo e Novembro por um positivo

Qual a tua maior realização do ano?
Atingir a meta profissional
Ganhei uma relação fantástica
Qual foi o teu maior fracasso?
O desgosto depois de atingir a meta (irónico, hein...)
Uma relação falhada

Tiveste alguma doença?
Ansiedade a dar com um pau pode ser?

Qual foi a melhor coisa que compraste?
Um cartão tmn (no comments)

Que comportamento mereceu comemoração?
Ter atingido aquela meta profissional

Que comportamento foi deprimente?
Provavelmente mais do que aqueles que me lembro agora

Para onde foi a maior parte do teu dinheiro?
Para os transportes, refeições e cartão da tmn

O que te deixou realmente excitado/a?
Todo o mês de Agosto

Que canções sempre te vão lembrar de 2007?
More than words

Comparando-te com esta época, no ano passado, estás:
I. mais feliz ou mais triste?
Feliz por umas coisas e triste por outras

II. mais magro/a ou mais gordo/a?
Acho-me na mesma, mas a minha mãe acha-me mais magra...

III. mais rico/a ou mais pobre?
Rica (quanto mais não seja de espírito)

O que querias ter feito mais?
Amor

O que querias ter feito menos?
Mantenho a resposta da Blue: chorado

Como vais passar o reveillon?
Em casa do namorado de preferência abraçada ao mesmo

Apaixonaste-te em 2007?
Mais do que pensei ser possível

Qual foi o teu programa de TV favorito?
Grey's Anatomy

Odeias alguém hoje que não odiavas há um ano?
Não odeio ninguém (desculpa ter mantido a resposta Blue)

Qual foi o melhor livro que leste?
Acho que não li nada até ao fim

Qual foi a tua maior descoberta musical?
Tantas... Dramagods, etc...

O que querias e conseguiste?
Aquela meta que já referi duas vezes (três a contar com esta)

O que querias e não conseguiste?
Ter um gato

O que fizeste no teu aniversário?
Estive com os amigos, com o namorado e a melhor parte: ganhei um torcicolo

O que teria feito o teu ano infinitamente melhor?
Maior dedicação da minha parte em todos os aspectos

Como descreverias o teu modo de vestir em 2007?
Relax

O que manteve a tua sanidade?
Nem sei! (Mas possivelmente a música safou-me do manicómio)

Qual o episódio da política que te deixou mais puto?
Não ligo a política

De quem sentiu falta?
Do meu avô

Quem foi a pessoa mais legal que conheceste?
Duas companheiras de guerra e um companheiro (espero) para a vida

Diz uma lição valorosa que aprendeste em 2007.
Nada é certo. Luta pelo que queres. Aprende com os erros. São 3, mas achei-as todas importantes.
Beijos,
Pekenina*

Saturday, December 29, 2007

Mensagem...


Hoje fui premiada duas vezes: além do prémio bloguista, o Pipoca hoje brindou-me com uma sms digna de se postar. Derreti-me por completo ao ler aquelas palavras e garanto-vos que nunca o tinha visto a escrever assim.
Mas tendo em conta que devem estar a morrer de curiosidade (eu estava quando vi que era um texto maior que o costume) aqui vai:

O tema de conversa eram as saudades que temos um do outro (a última vez que nos vimos foi no domingo e só nos vemos outra vez dia 31 à noite) e a vontade que tínhamos, naquele momento, de estarmos juntos.

"Com tanta vontade como agora, num dia cinzento... Numa casa que é nossa, dirigimo-nos ao quarto e tudo começa...
Deitamo-nos na cama, abraçamo-nos, consigo sentir o teu calor... (a chuva cai lá fora).
Com os meus lábios toco os teus (são tão doces!...), acaricio-te, enroscas-te em mim (tomo-te como a uma criança carente de amor), sentimo-nos movidos por algo interior. Apenas carinho não chega... (sentes o que quero e começas a despir-me; faço-te o mesmo, com vontade de te ter...vontade de me sentir em ti). Com mil voltas, mil trocas de olhar, mil segredos desvendados...Tiramos imenso prazer um do outro...
Encostas-te a mim...
-"Descansa bebé..."
Adormecemos os dois."

Curto e intenso este texto deixou-me sem palavras e a desejar que tudo isto pudesse ser mais do que palavras...

Beijo-te como tão bem sabes,
Pekenina

Friday, December 28, 2007

Prémio: É um Blog Muito Bom Sim Senhora!


Um obrigada muito sincero a quem me premiou: provoca-me!!!

São estes pequenos GRANDES incentivos e todos os comentários que recebo que me permitem continuar a escrever.

-O Meu Nada;
-Alcova Real;
-Blue Velvet;
-Memórias de Uma Túlipa;
-Frases Soltas;
-Camas e Algemas;
-Confissões De Uma Loira.

Eis as regras do desafio:
Regras:1. Este prémio deve ser atribuído aos blogs que considerem serem bons, entende-se como bom os blogs que costuma visitar regularmente e onde deixa comentários.
2. Só e somente se recebeu o “Diz que até não é um mau blog”, deve escrever um post:
- Indicando a pessoa que lhe deu o prémio com um link para o respectivo blog;

- A tag do prémio;
- As regras;
- E a indicação de outros 7 blogs para receberem o prémio.

3. Deve exibir orgulhosamente a tag do prémio no seu blog, de preferência com um link para o post em que fala dele.

4. (Opcional) Se quiser fazer publicidade ao blogger que teve a ideia de inventar este prémio, ou seja – Skynet - pode fazê-lo no post).

Regras 2 – é um blog muito bom sim senhora!Não há regras, excepto linkar a imagem ao meu blog (se vos apetecer), de resto a regra de escolher o ou os blog(s) fica à responsabilidade de cada um.

(Perdoem-me as atribuições serem um pouco repetidas, mas é que eu não sabia muito bem quem já tinha o outro prémio e a preguiça hoje instalou-se :p)

Tuesday, December 18, 2007

Prémio: Dizem Que Até Não É Um Mau Blog

Antes de mais um obrigada às duas pessoas que me atribuíram este prémio:


A tarefa agora é a seguinte:
1.º Indicar quem foi que atribuiu o prémio (acima);
2.º Atribuir o prémio a 7 blogs que considere que até nem são maus blogs…
3.º Fazer referência ao criador deste prémio (link na imagem)
Desta vez resolvi atribuir os prémios, mas como não dá para todos, por favor não se sintam excluídos. O prémio está mal feito e só dá para 7. Mas se vos visito é porque gosto =)
Aqui vai (e não por ordem de preferência):
São todos blogs com as suas particularidades. Uns quentes, outros sérios, outros que me deixam muito bem disposta...diferentes, mas merecedores =)
Beijinho a todos,
Pekenina*

Monday, December 17, 2007

Finalmente um dia



Aniversário da "sogra" (ponho aspas porque acho uma palavra um bocado feia e ela é um amor). Fui ter contigo de manhã. Estivemos em tua casa e depois fomos almoçar os 5: os teus pais, eu e a tua irmã. (Sim, o "gajo" hoje deu-nos folga).

O almoço correu lindamente e ainda fomos todos dar uma volta a uma loja de decoração. Senti-me como se estivéssemos os dois a sonhar com um futuro que não me parece tão distante assim. A NOSSA casa... soa lindamente. Temos gostos muito idênticos o que tornou esta visita muito interessante. A primeira coisa com a qual concordámos foi obviamente com a cama. Mas decorações à parte a verdade é que estava muito bem disposta. E tu também. Riamo-nos os dois por tudo e por nada. Dizíamos disparates, fazíamos traquinices, parecíamos duas autênticas crianças. E no entanto soube-me tão bem... era como se dia 12 fosse um passado bem distante, como se nem tu nem eu nos recordássemos da má-disposição desse dia. Foi mesmo...bom!

À tarde estivemos só os 2... conversámos, brincámos, gozámos, fizemos loucuras como só nós fazemos... até jantei em tua casa e tudo.

Depois de jantar ainda tivemos uns momentos só para nós:
Dois amantes, uma cama, milhentas saudades ainda por matar. Só podia correr bem. Encostei a minha cabeça ao teu peito. Quase adormeci com as tuas festinhas no meu cabelo. Retribuía na mesma moeda. Até que decidiste dizer qualquer coisa e, num impulso incontrolável, interrompi-te com um beijo intenso, longo, cheio de amor. Não o negaste e entregaste-me a tua língua para que pudéssemos trocar segredos. Os segredos dos nossos beijos que ficam apenas entre as nossas bocas. A partir do beijo as nossas mãos perdiam-se nos espaços dos nossos corpos. O que vem daí apenas sabemos nós e o teu quarto.

Tive que me ir embora. Foste levar-me a casa. Não dormia tão bem há muito tempo.

Obrigada "gajo" por não teres aparecido.

Obrigada Pipoca, pelo amor que entregaste e continuas a entregar.

Da tua sempre,
Pekenina

Friday, December 14, 2007

Agora...somos 3


Pipoca,


Finalmente o dia que tanto esperei tornou-se real. Cheguei ao sítio combinado: beijo longo, sentido.

"Que saudades..." - disseste.
"Muitas...!" - respondi.

Estavas acompanhado, pelo que não deu para te demonstrar as saudades que realmente tinha.
Não bebé, eu não estava à vontade. Não estava. Mas estava bem disposta, ao contrário do que possas ter pensado.
Fomos almoçar e dar uma volta até que fossem horas de te ires embora. Ias trabalhar e quando acabasses eu ia ter contigo. Assim foi.
Desta vez estavas sozinho e aí sim consegui (ou pelo menos tentei) que percebesses que gosto mesmo muito de ti e que tinha mesmo imensas saudades.
Tivemos pouco tempo para nós. Rapidamente ficámos outra vez 3 pessoas, em vez de apenas nós os dois.

Incomodada? Não.

Mas "gostava que tivesse sido diferente" (e estas são palavras tuas...). Não te via há um mês e apenas gostava de poder estar abraçada a ti, agarrada e aos beijos se me apetecesse, tudo isto e mais alguma coisa que me passasse pela cabeça, mas sem ter um gajo a olhar para nós como se fôssemos um espectáculo ao qual ele assistia. O que me deixou mais baralhada foi o facto de ele olhar para ti e rir-se. Como se aqueles nossos momentos lhe proporcionassem um gozo absoluto. Não amor, desculpa mas não consigo entender o que lhe passou pela cabeça.
Que ele não me possa ver à frente, que ele não suporte olhar para mim, que ele não goste da minha personalidade...com isso vivo eu bem. Agora que nos goze...desculpa...não gosto.
Não tenho nada contra ele. É teu amigo, não meu. Mas então, se é TEU amigo, que não se comporte como se eu fosse "suportável". Não gosta de me falar, não fale. Prefiro isso a "fretes". Prefiro que não me dirija a palavra a que faça um tremendo esforço para que me fale.
Como para mim ele me é indiferente (e desculpa se te magoo com isto, mas já to disse pessoalmente) eu trato-o normalmente. Como se nada fosse. Mas por favor não me digas que sou má para ele. Só porque não o trato como se fosse meu amigo (e não é!) não é razão (digo eu) para dizeres que fui má com ele. Não acho que tenha sido. Apenas...fui eu.
Dizes-me que o que ele te diz sobre mim que te é indiferente. Talvez seja: talvez te estejas nas tintas para o que ele te diz de mim (ainda que ele nem me conheça, mas eu já nem comento esse facto). Não me sinto bem em estar ao pé de alguém que consegue ser tão cínico. Desculpa estar a ser tão fria, só não consigo perceber o que ele tem contra mim.

O meu medo? Que use isso para te encher a cabeça. Ele está contigo todos os dias e eu não.

"Sinceramente estou-me a cagar para o que ele diz. Ele não me vai por bichos na cabeça..." - dizes.
"Será...?" - Penso eu. Queria muito que isso fosse verdade. Queria mesmo!

Estou muito confusa. Não quero escrever de cabeça quente. Daqui a nada vou ter contigo e com ele para almoçarmos.

Talvez as coisas hoje sejam diferentes. Talvez eu dê um fim diferente a este post...
Talvez, neste baralho, eu seja apenas um JOKER que desperdiça as cartas que tem...
Talvez...

Monday, December 3, 2007

Award - "Power Of Schmooze"


Prémio atribuído pela Mary a quem, desde já, agradeço. Não consigo atribuir este prémio a 5 Blogs. Perdoem-me. Acho que todos os blogs que frequnto têm a sua particularidade. Daí frequentá-los. Não consigo eleger 5. Mas fica registado o louvor ;)
Obrigada.

Keep posting!
Beijinho,
Pekenina*

Thursday, November 29, 2007

Desafio - Uma Paixão Indiana


Bem...foi-me proposto um desafio pel'A Túlipa e pela Mary: escrever a 5ª linha completa da página 161 do livro que estou a ler. Confesso que deixei o livro a meio, mas ainda assim ainda espero acabá-lo. O livro chama-se Uma Paixão Indiana de Javier Moro.
Ei-la:
"Eram tais as ânsias de sexo de Bhupinder que, ainda muito novo, inventou um culto a fim de disfarçá-las."
Confesso que ainda não tinha chegado a esta parte, mas enfim. Deixo-vos a imagem do livro. Pode ser desperte curiosidade =)

Os blogs que "nomeio" para dar seguimento a esta "festa literária" são (e não justifico apenas porque não acho necessário):


Obrigada pelo desafio.

A todos um beijo literário da vossa,
Pekenina*
Foto retirada de: www.asa.pt

Wednesday, November 28, 2007

Simplesmente tua...


Não sei bem por onde começar (até parece o meu primeiro post). Sei que tenho andado um pouco ausente no que toca a postar, mas continuo assídua (ou pelo menos tento) a comentar.

Ultimamente eu e tu (Pipoca) temos tido umas conversas (bem) interessantes. Como não podemos estar juntos temos que recorrer a todos os métodos possíveis: carta, net, telemóvel. Acho que nunca falei tanto em amor e saudade em toda a minha vida. Consomes todas as forças que tenho (e é tão bom sentir-me assim por ti!).
Ver-te deixa-me nas nuvens, estática a olhar para aquele quadrado tão pequeno na janela do msn. E as webs tiram-te todos os pormenores que tanto adoro em ti meu "menino". Nunca me satisfaço só de olhar para ti assim (como é óbvio):
-Aqueles lábios grossos e vermelhos que me beijam tão bem, que me percorrem como se eu fosse uma delícia que existe apenas para a tua boca ficam muito melhor ao vivo;
-Aqueles olhos rasgados que quando me olham me penetram na alma tão profundamente, que me chego a sentir "despida" parecem tão diferentes;
-Aquelas mãos tão suaves quanto grandes, onde qualquer parte do meu corpo parece ter sido feita para encaixar na perfeição nelas (hum...aquelas festas na cabeça...) parecem-me mais frágeis.

Imaginação minha?! Provavelmente...

Mas as boas notícias chegaram: dia 11 já cá está outra vez. E vai ser um Natal digno de BONS presentes quanto mais não seja és TU o meu presente antecipado. Já não peço mais nada ao Pai Natal =)
Vai ser um mês recheado de amor, carinho e (se tudo correr bem) muita intimidade e cumplicidade (acho que já percebeste o que quis dizer com isto) ;) Vou deixar-me levar por ti, pelos teus braços, pela tua chama que me queima por dentro. Este Natal vou ser o TEU presente. Agora está nas TUAS mãos.

Estou à tua espera...

Porque, de facto, estes NOSSOS momentos são de uma partilha indescritível, sentida apenas por quem está presente.
Pessoalmente sinto-me incrivelmente feliz por saber que aquilo que faço te provoca um sorriso, alegria ou até mesmo prazer. Afinal o prazer também faz parte de uma relação. E acho importante saber se o damos, ou não, ao(s) nosso(s) parceiro(s).

Quero fazer-te feliz. Como nunca foste. Se o permitires, espero estar à altura =)

Sinceramente não sei mais que dizer. A carta que te enviei estava explícita o suficiente para que me entendesses e as nossas conversas diárias elucidam-nos na perfeição.

Contigo sou FELIZ. Deixa-me continuar a sê-lo...

Um beijo da tua sempre,
Pekenina

Friday, November 16, 2007

Dias


Os dias ainda custam a passar, mas felizmente estás sempre aqui comigo. Recordamos todos os dias os momentos que passámos juntos.

"Passa mais devagar assim" - dizes - "mas é muito melhor"

Agora que estou sem ti é que percebo o quanto gosto de ti, o quanto me fazes falta, o quanto preciso do teu apoio, palavras e carinho. Mas também sei que vamos sair disto mais fortes. "Só" temos que nos aguentar neste corda bamba até ao Verão. Depois será tudo melhor. Será o nosso mês seguido sem que ninguém nos chateie. Serão os nossos fins-de-semana sozinhos, seremos (finalmente) um do outro como nunca o fomos.
Mas até lá sofreremos, lutaremos, amemo-nos à distância como o tempo nos permite. Crescendo, falando, trocando sms's e cartas, provocando ao máximo se for preciso.
Sabemos os dois que num momento estamos longe um do outro, mas basta fecharmos os olhos e como que por magia estamos tão próximos, tão juntos que sentimos a respiração um do outro, os lábios e calor que nos consome.
Quero-te bem Pipoca: és o tesouro mais bem guardado e ninguém me tira isso. A chave da porta que te abri, perdi-a. Lancei-a ao mar que nos separa. Pediste-mo um dia, lembras-te? (Não por estas palavras, mas ambos sabemos o significado).

Um dia de cada vez, passo a passo e de olhos fechados (por conhecermos tão bem esta estrada), caminhamos lentamente, um em direcção ao outro.

Beijo da tua sempre,
Pekenina

Dedicado a todos os que aqui comentam pela força que dão em cada palavra, o meu sincero OBRIGADO. Dedicado a TI em especial, por não largares a minha mão quando me sinto à beira do abismo e por amparares as quedas que dou.

Saturday, November 10, 2007

Dói demais


Ainda em tua casa, estavas tu sentado na cama e eu de pé, à tua frente. Abraçámo-nos com a força que conhecemos e todo aquele silêncio falava mais alto que qualquer berro. Dizíamos "amo-te", "não vás", "fica aqui comigo". Tudo isto sem proferir um som sequer.
Levaste-me à porta do metro e entre beijos e abraços os nossos passos tornavam-se mais lentos como se não quiséssemos chegar ao nosso destino. Mas chegámos.
A dor era tanta e as saudades já apertavam tanto que o silêncio bastava. Tanto os teus olhos como os meus tinham lágrimas a querer espreitar. Abracei-te com a força que tinha (era pouca) e senti-te tão perto de mim... Olhámo-nos nos olhos tantas vezes... tive que partir.
Quando "te virei as costas" definitivamente, as lágrimas jorraram como um rio que parecia não ter fim. Demorei uma hora a chegar a casa.

(Uma hora sem ter os olhos secos)

Íamos trocando sms onde as palavras mais repetidas além de "amo-te" era "saudade", "dor" e "difícil". Agora que nos temos é que nos apercebemos do DIFÍCIL que é estarmos longe um do outro. Mais um mês sem te ter aqui. Mais um mês sem te poder sentir, sentindo-me impotente quando precisas de mim, sentindo-me inútil por não conseguir dar-te mimos quando mais precisas... sentindo-me tão SÓ.
E agora que me vou deitar sinto a falta do teu corpo junto do meu (como esta tarde, lembras-te?), sinto a falta da tua respiração com a minha, sinto falta das tuas palavras e gestos. Sinto a TUA falta, e choro. Vou chorar até não ter mais lágrimas nos olhos, nem sal no corpo.
Volta para ao pé de mim Pipoca, não me deixes aqui sozinha. Não entres nesse avião que te leva para longe outra vez. Dezembro soa-me tão distante...
Fica meu amor! Eu prometo que fico contigo!!
Mas lá vais tu na terça feira e eu sem te conseguir impedir...
As saudades já apertam e tu vais ser, sem dúvida, o melhor presente de Natal de sempre!

Coloco esta foto por ser a união do "olho que tudo vê", para que saibas que mesmo longe eu ainda te sinto, ainda te cheiro, ainda estou contigo; e porque a lágrima da saudade...não seca até chegares!

"Dóis demais", mas "Estamos juntos nisto!"

Beijo-te com a doçura e amor de sempre da tua,
Pekenina

Wednesday, November 7, 2007

(Re)Encontro


Foi perfeito! Que palavra pode descrever melhor o que aconteceu hoje?
Lá estavas tu no sítio combinado. Olhei-te nos olhos, olhaste-me. Não foi preciso mais nada: os nossos lábios sabiam o caminho um do outro ainda que esta tenha sido a primeira vez que se tenham tocado. Um beijo doce, intenso, forte e cheio de amor. Estávamos os dois nervosos, mas decididamente tu mais do que eu: tremias por todo o lado. Senti isso quando te dei a mão. Nenhum de nós conseguia acreditar que O DIA tinha chegado.
Não te larguei durante todo o caminho. Parecia que nos conhecíamos há anos.
Almoçámos e tivemos um tempinho para nós. Não vou descrever meu amor. Fica guardado para nós e só nós. O que posso revelar é que o amor que sentimos um pelo outro preencheu aquele quarto. Todos os gestos e palavras ficarão no segredo daquelas quatro paredes e em nós.
O tempo ao teu lado passou tão depressa que quando dei por mim era de noite. Tinha que ir para casa. Quando algo corre bem o tempo passa mesmo mais depressa do que devia!
Levaste-me até ao Metro. Foi a despedida mais sentida de todas. Não conseguia descolar os meus lábios dos teus, o teu perfume ficou-me entranhado no nariz e ainda te sinto a abraçar-me com aquela força como quando te encontrei de manhã.
Foste perfeito toda a tarde, foste mais do que imaginei. Esta tarde, foste TUDO!
Agora é esperar para que 6ª feira te possa reencontrar outra vez.
Espero que tenhas gostado tanto como eu.

Obrigado por tudo Pipoca, AMO-TE é tudo o que consigo dizer e mesmo assim parece-me pouco.


"Somos um do outro, sem ninguém pelo meio. Que assim seja, sempre!"


Um beijo da tua,
Pekenina

Sunday, October 28, 2007

Porque só temos um dia...

...para demonstrar que vale a pena!
video
[Troy]
Once in a lifetime
means there’s no second chance
so I believe than you and me
should grab it while we can

[Gabriella]
Make it last forever
and never give it back

[Troy]
It’s our turn,
and I’m loving’ where we’re at

[Troy and Gabriella]
Because this moment’s really all we have

[Troy]
Everyday
of our lives,

[Gabriella]
wanna find you there,
wanna hold on tight

[Troy]
Gonna run

[Troy and Gabriella]
While we’re young
and keep the faith

[Troy]
Everyday

[Troy and Gabriella]
From right now,
gonna use our voices and scream out loud

[Gabriella]
Take my hand;

[Troy]
together we
will celebrate,

[Gabriella]
celebrate.

[Troy and Gabriella]
Oh, ev’ryday.

[Gabriella]
They say that you should follow

[Troy]
and chase down what you dream,

[Gabriella]
but if you get lost and lose yourself

[Troy]
what does is really mean?

[Gabriella]
No matter where we’re going,

[Troy]
it starts from where we are.

[Gabriella]
There’s more to life when we listen

[Troy and Gabriella]
to our hearts

[Troy and Gabriella]
and because of you,
I’ve got the strength to start
Yeah, yeah, yeah!
Everyday
of our lives,
wanna find you there

[Gabriella]
wanna hold on tight

[Troy and Gabriella]
Gonna runwhile we’re young
and keep the faith.
Everyday

[Troy]
from right now,

[Troy and Gabriella]
gonna use our voices and scream out loud
Take my hand;
together we
will celebrate,

[Gabriella]
Oh, ev’ryday

[Troy]
We’re taking it back,we’re doing it here
together!

[Gabriella]
It’s better like that,
and stronger nowthan ever!

[Troy ]
We’re not gonna lose.

[Troy and Gabriella]
‘Cause we get to choose.
That’s how it’s gonna be!

[Troy]
Everyday
of our lives,

[Gabriella]
wanna find you there, wanna hold on tight.

[Troy]
Gonna run
while we’re young

[Troy and Gabriella]
And keep the faith
Keep the faith!

[Choir]
Everyday
of our lives,
wanna find you there,
wanna hold on tight.
Gonna run
while we’re young
and keep the faith
Everyday
from right now,
gonna use our voices and scream out loud
Take my hand;
together we
will celebrate,
Ev’ryday!
Live ev’ry day!
Love ev’ryday!
Live ev’ryday!
Love ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!
Ev’ryday!

[Gabriella]
Ev’ryday!

Queria ter-te assim todos os dias...

Da tua,
Pekenina

Vídeo: www.youtube.com

Monday, October 22, 2007

Obrigada...


Estou FELIZ. Sim amigos, fui "perdoada". O post foi lido pelo principal destinatário (Pipoca) que sobre ele disse:
"(...) és minha, eu sou teu, temos que apagar o escuro como breu. Amo-te demais. Aquele post é mesmo “doido”. Eu percebo-te perfeitamente. Isto está 5 estrelas. Quero-te demais Pekenina. O espaço que tenho dá para todos, mas sabes bem que sou bem mais teu que dos outros. Sabes bem disso. E quando "chamas" por mim não te preocupes a pensar que pedes demais. Eu adoro isso. É muito bom sinal. (...)
Venham as amigas, o mesmo te digo: tu és a minha Pekenina e pronto, eu sou o teu Pipoca, e mais nada. (...)

Quantas vezes penso em ti, quantas vezes te sinto ao meu lado mas foges, quantas vezes fico de coração nas mãos. Bebé, amo-te mesmo. Quem me dera que daqui a 30 anos fosses tu quem estivesse comigo."

Bem sei que começámos a entrar na onda dos sonhos onde 30 anos neste momento são "uma eternidade". De qualquer das formas foi o maior conforto que ele me pôde dar. Acho que qualquer pessoa no meu lugar se sentiria uma perfeita idiota ao reler o último post. Digam lá que ele não sabe reconfortar =)
Ainda por cima faltam duas semanas para o regresso do meu Pipoca e eu já estou numa ânsia desenfreada para que chegue o dia. Já lá vão quase 3 meses desde a última vez que nos vimos. Sei que AGORA vai ser de vez.

Obrigada Pipoca, por me amares assim!

Um beijo da tua,
Pekenina

Thursday, October 18, 2007

Perdoa-me


Habituaste-me mal durante aqueles dias em que estivemos juntos.
Pela primeira vez "caí em mim" e apercebi-me que tinhas mais companhia feminina além da minha. (Parece estupidez, eu sei, mas não consigo evitá-lo). Desculpa. Desculpa querer ocupar esse espaço tão sagrado que deve ser gerido por ti. Um espaço onde deve pertencer toda e qualquer pessoa que achas merecedora de tal honra. Um espaço que (ingenuamente) quis conquistar mais do que devia. Desculpa toda esta invasão.
Agora percebo o que queres dizer com "aquele medo" quando falava contigo. Talvez pensasses que não tinhas sido o único com hipóteses de me prender, mas és! E sim, eu sei que tenho as minhas amizades e não vou, não posso (nem quero!) impedir-te de ter as tuas com quem quiseres. A isso se chama dar espaço. Espaço que, a meu ver, preenchi demais. Mas se o fiz foi por ter medo: medo de te perder, medo de, por estar longe, pensasses que eu não te sentia. Mas este ciúme é precisamente a prova de que te quero, de que te sinto. Apenas dói e custa saber que há alguém (seja quem for) mais perto de ti do que eu. Sabes que confio em ti Pipoca, sabes que sim! E nada muda isso. Mas também sei que me compreendes. E agradeço-te por isso.
Este é apenas um dos motivos pelo qual acredito em nós: a compreensão.
Mas vamos provar à distância que nos separa e a todos os que não acreditam que somos capazes de ultrapassar tudo isto: os ciúmes, as noites sem falar, o corpo ausente. Mas amar é ser capaz de ultrapassar isto (e muito mais). E eu? Eu acredito que (juntos e apenas juntos) somos capazes.

Perdoa-me meu anjo.


Da tua,
Pekenina

Friday, October 12, 2007

Quero (muito!)


Preciso de ti. Alimentas-me a alma e preenches o meu corpo vazio. Contigo a vida parece ser sempre um copo meio cheio. Cada "Olá" que me diriges é um sorriso garantido na minha cara e cada "Adeus" uma amargura. Mas deixemos de falar de mim. Já deixei bem claro (desde que comecei o blog) o que significas nesta etapa da minha vida (que espero poder prolongar até ao infinito).
Para ti quero ser "motivo de alegria, anjo que te guarda, mão na qual te apoias, ombro no qual choras", a amiga a tempo inteiro (e mais do que isso, se deixares), a pessoa em quem confias. Quero ser tudo isto o muito mais. Quero estar sempre ao teu lado e seguir as tuas pegadas. Ir atrás de ti quando e como for preciso.

(Como agora, momento em que precisas de mim. Quero ajudar-te a não ir abaixo, a não desistir nem desanimar. Fecha os olhos meu amor e sonha apenas com aquela noite quente onde os dois beijos de um mero "Adeus" foram muito mais do isso, onde a minha e a tua pele foram apenas uma. Pode ser que estas coisas boas se sobreponham às más e estas fiquem um pouco esquecidas, atenuadas pelo menos.)

Quero poder amar-te sem fronteiras.
Quero, quero, quero... (mais uma vez parece que me concentro no "eu").
E QUERO poder amar-te verdadeiramente nem que seja por uma vez, por uma noite...AQUELA vez, AQUELA noite! Ser o que até agora ninguém foi para ti. Acho que no fundo a única coisa que quero é ser especial para ti.

Até lá...aguardo-te como sempre.

Da tua,
Pekenina

Saturday, October 6, 2007

Uni-me a ti


Mesmo a meio da noite
gritando sem voz
consegui que entendesses.
E pela primeira vez falei
as palavras sagradas:
"Amo-te muito!"
Foi a maior verdade
e ainda assim realidade
dos dias que agora passam.
E o silêncio reinou
alguém suspirou
mas nem por isso desliguei.
Assustei-me por pensar
que estavas ausente
mas respondeste firmemente
"Amo-te!"
E não, não estava a sonhar.

Agora apenas espero
em Novembro poder mostrar
aquilo que te disse agora
e que sinto sem negar.

Senti que naqueles segundos
algo a ti me prendia
como um fio de qualquer coisa
que não parte, não quebra
não desaparece.

Uni-me a ti nesta espiral de sentimentos
que espero não ter fim.

"Quero sentir-me sempre assim ao teu lado..."

Da tua,
Pekenina

Monday, October 1, 2007

Sentir-te


Ontem fechei os olhos...
Fechei os olhos e senti-te;
senti-te como nunca.
Se estendesse a mão sentiria a tua face
se desse um passo em frente entregar-me-ia a ti
(Ai! Porque tenho de os fechar para sentir tudo isto?)

Ainda de olhos fechados sinto o calor da tua respiração
sinto aquele ar quente de dois corpos enlaçados
sinto-te simplesmente.
E sinto as festas no meu cabelo
a tua mão pelo meu corpo
e os teus lábios nos meus.

(Beija-me só mais uma vez...)

A tua presença cada vez é mais real
a tua voz continua a quebrar silêncios

(E eu continuo de olhos fechados)

E quando finalmente penso ouvir
"AMO-TE"
Abro os olhos e estou sozinha.

"Always..."

Da tua,
Pekenina

Sunday, September 30, 2007

Simplesmente...tua


Quero poder gritar o quanto te adoro;
Quero poder dizer-te que estou a morrer de saudades tuas.
Esta mistura sensações: que me dá a volta ao estômago (que por vezes me retira toda a fome);
que me dá a volta à cabeça (quantas vezes só de pensar em ti perdi o raciocínio);
que me dá a volta à alma...
Permitiste que criasse uma força em mim que até agora desconhecia
Nunca julguei conseguir acreditar em algo assim:
acreditar em algo que ainda não existe
(existe "apenas" em nós)
e fazer tudo por tudo para que (mesmo que demore) as coisas aconteçam.
"Está quase"-repetes tu todos os dias...
E pergunto-me porque me parece sempre longínquo...
como se me fugisse por entre os dedos mesmo que tente agarrar...
Mas sei que vamos ser mais do que mensagens escritas,
mais do que e-mails que se conhecem.
Espero-te até um dia...
Um dia onde seremos um só.

"Because I can't stop loving you"
"We'll be there soon (...) Just me and you"

Da tua,
Pekenina

Friday, September 28, 2007

O turbilhão da espera...


Hoje sinto-me mesmo...melancólica?, triste?...
Não sei.

Sei que sinto um aperto cá dentro quando estou muito tempo sem te falar.
Sei que cada vez que o meu telefone toca e és tu que sorrio por dentro com uma explosão de felicidade.
Sei que tenho saudades tuas mesmo sabendo que nunca te tive.
Sei que te quero.
Sei que vou fazer os possíveis para ficar contigo.
E parece que não chegas nunca mais...
Parece que o tempo parou a partir do momento em que nos entregámos por palavras.
Desde aí que sou tua.
Desde aí que o Universo congelou...apenas para te ver passar.
E eu? Eu continuo no meio desse Universo...à tua espera.
À espera desse tempo que te traz, da tua figura que recordo de olhos fechados, da tua cara que conheço mesmo sem nunca te ter tocado; à espera dos lábios que nunca provei, dos braços que nunca toquei.
Estarei aqui até chegares.


Da tua,
Pekenina

Wednesday, September 26, 2007

Somos diferentes...


Ontem tivemos (provavelmente) a conversa mais perturbadora de sempre em todos estes meses (e já lá vão 2 e meio).

-"Somos muito diferentes"- disse eu.

É verdade: somos muito diferentes: temos pontos de vista diferentes sobre alguns assuntos. Noutros casos, pelo contrário, estamos bastante de acordo.

-"É uma diferença relativa"- disseste tu.

Talvez o seja...não sei. Talvez toda esta diferença seja aquilo que ainda me faz tentar perceber-te. Talvez seja por isso que preciso tanto de te ver e de estar contigo (tenho esperanças de, assim, te poder conhecer melhor).

-"Só o tempo dirá isso"- respondi.

Acho que só o tempo nos vai dizer se esta diferença é realmente relativa ou se tem alguma importância: se é apenas uma pedra nos nossos sapatos ou se é uma barreira no caminho que traçamos. É por isso que espero ansiosamente por Novembro: para poder perceber se é apenas uma pedra no sapato, se algo mais que isso.

-"Não me assustes"-dizes tu.

Não, não te quis assustar. Quis apenas que entendesses que as coisas não são tão fáceis como parecem (pelo menos para mim). Cada dia que passa é uma batalha ganha e mais um traço no calendário (calendário esse que parece não ter fim). Não te quis avisar de nada, não te quis dizer que vou fugir por as coisas serem difíceis. Nada disso.

Quero apenas que entendas que somos mesmo diferentes.

No entanto...estou aqui, fico aqui à tua espera: à espera que Novembro te traga a ti e às tuas diferenças!

Porque olho para ti e digo: "É ELE!"

Da tua,

Pekenina

Tuesday, September 25, 2007

Como tudo começou

Lembras-te? Fui à procura de uns amigos que não via há muito tempo. E lá estavas tu...mesmo ao cantinho (mas vi-te na mesma). Depois de tanto ano acabaste por dizer uma frase que (depois de recordada por ti) nunca mais esqueço:
-"Eu lembro-me de ti!"
E falámos...falámos como se, de facto, nos conhecêcemos há muito tempo e fôssemos cúmplices desde o início. Ainda hoje o somos.
Mas, na verdade, eis coo a história realmente se passou:

Foi uma marca: quando entrei naquele palácio azul e todos me olhavam de lado;
Quando disse quem era rapidamente vi sorrisos.
Estavas lá deitado e escondido.
Não consegui reparar até ter olhado bem à minha volta.
Eras quem menos conhecia e, no entanto, quem mais me falava.
Marcaste.
Enquanto não chegava a tarde algo me “incomodava”.
Sentia que algo tinha irrompido de repente na minha cabeça.
Destinou ou não, no meio de mais de 2000 pessoas lá estavas tu mesmo atrás de mim.
Senti-me completamente a tremer. A minha voz não era a mesma e certamente o meu comportamento denunciou-me.
Cada vez que cometia o erro de te olhar lá estavas tu impávido e sereno a olhar na minha direcção.
“Estás a sonhar!” – dizia eu.
Olhei-te tão nos olhos como me foi possível.
Não sei como não me exprimi com um sorriso (que por dentro era mais do que evidente!)

Mais uma marca assinada por ti.
Ao fim da tarde perdi-te de vista.
Já era meia-noite e não havia modo de me ir embora dali.
Queria falar contigo.
Era apenas isso que desejava e parecia-me tão longe...
Finalmente cheguei ao único local onde poderias estar.
A primeira coisa que fiz foi ir à tua procura (e para isso desculpei-me com uma ida à casa-de-banho), mas...tu não estavas lá!
Quase que adivinhava que isto ia acontecer!
A que propósito estarias tu à minha espera?!
E quando me preparava para desistir (sim, eu ia desistir)
Apareces tu atrás de mim.
(E esta cena seria digna de qualquer filme romanceado.)

Marca.
Depois de alguma conversa vieste (infelizmente acompanhado) comigo até ao meu refúgio
Falámos e falámos e falámos e aqueles 10 minutos pareceram 10 segundos na tua companhia.
Cada vez te revelavas mais doce que no segundo anterior.
Marca.
Não te podia perder.
Foi por isso que tanto significado teve para mim aquele toque tão meigo quanto dócil: a tua na minha face.
Foi por isso que ainda hoje sinto a tua mão na minha.
Marca.
Marca.
Porque a tua demonstração de amizade MARCOU!

A primeira confissão


Primeiro post...não sei bem o que escrever.
Apenas dizer que há alguém neste mundo que me transforma. Sou a mesma por fora mas sinto-me completamente invadida por uma onda de felicidade que parece não terminar. Alguns diriam que é doentio. Eu digo que é amor. Deixas-me perdida num mundo onde existimos apenas os dois e onde de mãos dadas, caminhamos. Juntos sem mais ninguém. Sabemos os dois que a distância que nos separa é o obstáculo mais difícil, mas também sabemos que aquilo que nos une é mais forte que isso. Somos nós e apenas nós naquela sintonia que sentimos ao falarmos. Tu e eu? Talvez não sejamos perfeitos, mas estamos juntos numa luta onde muitos desistiriam.