Wednesday, June 30, 2010

Filosofando em 1971

 

“Yes, there are two paths you can go by
But in the long run
There's still time to change
The road you're on”

in Stairway To Heaven (08Nov71) by Led Zeppelin

Curioso como muitas vezes reagimos a obstáculos que nos são colocados à frente. Umas vezes temos vontade de fugir, evitar confrontos e chatices, deixando que o tempo se encarregue de resolver o que devia ser tarefa nossa. (Muitas vezes o que acontece é apenas adiar o inevitável e quantas vezes não é pior a emenda que o soneto…). Arrastamos os assuntos por conforto e comodismo e, quando damos por nós, temos “n” assuntos arrastados a caírem-nos ao mesmo tempo.

Por outro lado às vezes queremos “despachar” o assunto e resolver tudo de uma assentada por forma a tentar esquecer e seguir em frente (ou o assunto é tão mau que não queremos pensar nele de novo ou então não custa assim tanto a resolver, verdade?). Mas nem sempre corre muito bem; tal era a pressa de resolver o assunto que ainda ficaram “buracos por tapar” e anda-se durante tempos a colocar “remendos” numa solução que queríamos rápida.

Toda a bela tem o seu senão. Se por um lado não devemos fechar os olhos às adversidades (mais dia menos dia acabamos por abri-los ou então alguém nos faz esse favor…), por outro devemos também ser cautelosos em como lhes damos a volta.

Os caminhos não se traçam sozinhos e o que nos falta não são pés para caminhar, mas vontade própria para decidir qual o percurso a seguir. Assumirmo-nos como responsáveis pelas nossas decisões e actos (que às vezes não nos afectam só a nós, mas a terceiros).

 

Um verdadeiro Homem (…) sabe reconhecer quando escolheu o caminho errado: sabe voltar para trás, marcar uma cruz no início da bifurcação e seguir o outro caminho. Acima de tudo sabe lembrar-se do erro que cometeu e não volta a repeti-lo. Voltar atrás é assumir para consigo que não tinha razão; marcar a cruz é assumi-lo para com os outros não levando a sua gente ou os que o seguem a cometer o mesmo erro que ele, altruistamente; seguir o outro caminho é ter coragem de decidir por si A SUA alternativa.

by André (?)

 

2 comments:

Jaime Piedade Valente said...

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos".

Charles Chaplin

Pekenina said...

Ora nem mais. Neste caso nem sei se se trata de um ensaio, mas sim de saber dar a volta quando o guião não existe :) Mas fazer tudo a ultrapassar limites, intensamente... Sem dúvida!