Sunday, June 15, 2008

Veneno

Um poema que me foi parar às mãos há muito tempo, mas que gosto muito. Não reflecte em nada qualquer situação por mim vivida. É um dos meus poemas preferidos e quis apenas partilhá-lho convosco.


Fotografia retirada daqui


"Conquisto-te no meu plano de sonhos

onde até o amor é possível.

Recupero-te de um pesadelo em que as rosas murcham e o pano cai.

Tomo-te como meu sangue

e respiro-te como meu ar.

Olho-te...de longe.

Num segundo de eternidades eu estou a teu lado, sempre.

Em anos de verdadeiro sofrimento eu choro.

Cuspo esse veneno que me quiseste dar e que quase me matou.

Desprezo com saber essa faca que alguém me espetou.

Orgulho-me de te olhar

gritando em forte silêncio:

"Amo-te!", "És meu!"

Por mais olhe o vazio e esqueça

lá estás tu com o teu veneno

pronto para me seduzir e trair uma vez mais.

Ai quanto te desejo!

Suporto todos venenos e todas as cobras que não queres que sinta.

Prende-me nas amarras que de mim fogem

como o mar foge à lua

como o relógio contra o tempo

como o céu foge ao inferno

e o arco-íris à tempestade.

Amarra-me nesse teu beijo e nesse teu abraço que me segura.

Aquece-me nesta noite fria e sussurra ao meu ouvido:

"Quero-te!"

Há venenos que tomamos por serem necessidade."
by Pekenina
Beijinho,
Pekenina

39 comments:

writter_lovers said...

há venenos que nao nos matam...alimentam-nos :P bjinho

writter_lovers said...

há venenos que nao nos matam...alimentam-nos :P bjinho

Pekenina said...

Quem sabe se os venenos que nos alimentam não aqueles que nos tornam mais fortes, mesmo que nos façam mal um poucquinho? Será o lema "mal que vem por bem" aplicado neste caso? =)

Beijinho*

Nikita said...

"Há venenos que tomamos por serem necessidade"

Isso é uma grande e por vezes inquietante verdade...faz-me lembrar aquela frase "o que me alimenta, também me destrói". Quantas vezes, isso não acontece?


Beijos grandes Pekenina!

Bombocaa said...

Aquece-me nesta noite fria e sussurra ao meu ouvido:


"Quero-te!"

:)
É expressão que adoro dizer
:)

Pekenina said...

Nikita: nem mais =) É preciso saber equilbrar as coisas ;-)

Beijos**

Pekenina said...

Bombocaa: eu também =) há frases assim, bonitas de dizer, de ouvir.

Beijoca**

MalucaResponsavel said...

"Há venenos que tomamos por serem necessidade" - e n é q é verdade???

Pekenina said...

malucaresponsável: há verdades que só reconhecemos depois de as lermos =)

writter_lovers said...

sabe sim :P
ela lê tudo o que escrevo.

writter_lovers said...

pekenina: ela sabe pk é minha namorada. é o seguinte algumas coisas que escrevo sao autobiográficas, outras como aquele post é fruto da minha imaginação. mas obrigado pela força :D bj

NM said...

Doce e suave veneno...
Mais do que saber provar, é conseguir senti-lo. Mais do que saber senti-lo, é conseguir prová-lo como se de antídoto se tratasse. Muito bom post.
Um beijo.

http://prazeroculto.blogspot.com

Pekenina said...

NM: Obrigada :) Sê bem-vindo.
Beijinho*

João Filipe Ferreira said...

gostei \o/

Pekenina said...
This comment has been removed by the author.
Pekenina said...

João: este espacinho está de portas abertas. Espero que fiques. Ainda bem que gostaste =)

Beijinho*

NM said...

Keep going...

Refúgios said...

O veneno que não nos larga…

Pekenina said...

Refúgios: é isso mesmo. Há venenos assim, que se colam a nós. Às vezes, de tão habituados que estamos, já não sabemos viver sem eles...

Beijinho*

CamaReira said...

"Há venenos que tomamos por serem necessidade" Lindo mesmo!!!
Talvez porque seja um pouco verdade.

Beijos

MARIA MERCEDES said...

Imagina que eu ia à farmácia e pedia, 25 gramas de veneno para o meu amor...ia logo presa, de certeza!

beijinhos nada pekeninos

Pekenina said...

Camareira: Ainda bem que gostaste =) Sim, talvez seja um pouco verdade...
Beijo*

Pekenina said...

Maria Mercedes: e porque haverias tu de ir comprar veneno? =)

Beijo*

Marta said...

E alguns matam-nos verdadeiramente...
Poderoso o teu poema....
Gostei muito...
Vem tomar chá comigo...
Beijos e abraços
Marta

Pekenina said...

Obrigada Marta. Já lá deixei um presente :-)

Beijinho*

carpe vitam! said...

pensar que uma pessoa é nossa é o veneno que mata muitas relações saudáveis.
poema bonito :)
Bom fim.de.semana!

Pekenina said...

carpe vitam: é das coisas que se aprende é a nunca tomar nada como garantido :-)

Beijinho e obrigada :) *

Mary said...

é mesmo bonito:) beijinho

Pekenina said...

Obrigada Mary querida =)

Outro para ti*

Cadinho RoCo said...

O amor pede permissão, ainda que venenosa.
Cadinho RoCo

Pekenina said...

Cadinho RoCo: o amor não pode ser um mar de rosas. Amar é também saber suportar certas dores, ainda que venenosas. A permissão ser-lhe-á concedida, com conta peso e medida :)

Obrigada pela visita. Sê bem vindo a este cantinho.

Um beijinho,
Peke

carla granja said...

olá pekena ! é de facto um lindo poema :) Agora a cobra amarela é que me deixou tod arrepiada é o meu maior medo é cobras :) te desejo um bom domingo e passa por cá
bjoss
carla granja

Pekenina said...

Carla: obrigada. Eu às vezes acho que há mais cobras com duas pernas piores que estas da fotografia. Hehe

Beijinho*

Anonimo do Algarve said...

Há bons venenos temos é de saber quando os podemos tomar p n se serem prejudiciais.
Nao há melhor veneno k o amor,
tb nos consome.

Bjs

Pekenina said...

Anónimo: é verdade, sim. No entanto não nos podemos deixar corroer pelo veneno do amor. Amar de olhos fechados e ser cego, pode magoar ;-)

Bj

Pipocas said...

upa upa.. k sdds k eu tinha k estar aki! parece td taum novo... tenho +pena nao poder ter estado durante todo este tempo... agr regresso e espero eu em grande e c o todo o apoio... bjoka gandeee nha linda *****************************************************************

Pekenina said...

Pipocas: sê muito bom-vinda outra vez. A casinha está na mesma ;-)

Beijoca*

Casanova said...

N�o sei o que dizer... Adoro!
Beijo*

Pekenina said...

Ainda bem que gostaste casanova, obrigada :)

Beijinho*