Wednesday, September 21, 2011

Balada do Desajeitado

Qual “música de engate” qual quê… Uma delícia para os ouvidos (para quem gosta), isso sim! Smile

 

 

Sei de alguém
Por demais envergonhado
Que por ser tão desajeitado
Nunca foi capaz de falar
Só que hoje
Viu o tempo que perdeu
Sabes esse alguém sou eu
E agora eu vou-te contar

Sabes lá
O que é que eu tenho passado
Estou sempre a fazer-te sinais
E tu não me tens ligado
E aqui estou eu
A ver o tempo a passar
A ver se chega o tempo
De haver tempo para te falar

Eu não sei
O que é que te hei-de dar
Nem te sei
Inventar frases bonitas
Mas aprendi uma ontem
Só que já me esqueci
Então olha gosto muito de ti

Podes crer
Que à noite o sono é ligeiro
Fico à espera o dia inteiro
Para poder desabafar
Mas como sempre
Chega a hora da verdade
E falta-me o à-vontade
Acabo por me calar
Falta-me jeito
Ponho-me a escrever e rasgo
Cada vez a tremer mais
E às vezes até me engasgo
Nada a fazer
É por isso que eu te conto
É tarde para não dizer
Digo como sei e pronto

3 comments:

Rei Lagarto III said...

A história da minha vida... :)

Beijo

Otário said...

andas romântica pekenina..?
saudações otárias!

Pekenina said...

Olá =)
É... Acho que não ando... Sou. Mas as minhas manifestações podem confundir muita gente :P

Canhotas "pikenas"!