Tuesday, April 26, 2011

T., uma tartaruga diferente

A tartaruga foi a minha companhia durante mais de 15 anos e durante todo esse tempo ganhou hábitos e foi mostrando as suas peculiaridades, como todos os animais domésticos.

- Não gostava do aquário (e sim, era uma tartaruga), por isso passou a andar no chão da casa;

- Adormecia sempre debaixo do tapete em frente à banheira. Sabia que no dia seguinte alguém ia tomar banho e o wc ia ficar quente. Nessa altura saía debaixo da toalha (depois de uma pisadela sem querer) e colocava-se em cima dos nossos pés enquanto nos secávamos;

- Depois fazia o jogging matinal e ia até à cozinha onde se colocava novamente em cima dos pés de quem estivesse a preparar o pequeno-almoço; (só irritava quando precisávamos de cozinhar e ela não deixava por estar em cima dos nossos pés)

- Dentro do aquário era onde comia e fazia as necessidades. Raramente (em 15 anos só me lembro de ter acontecido umas 4 vezes) fazia esses coisas ao longo da casa;

- Adorava a cor branca. Fossem paredes ou calças ou meias lá ia ia dela direitinha a tentar trepar o que quer que fosse (muitas vezes esbarrava contra o frigorífico);

- No inverno durante o dia estava em frente à grelha do frigorífico (de onde sai ar quente) e à noite adormecia dentro das minhas pantufas;

- Cheguei a levá-la dentro da mochila pois entrou sem eu dar conta. Qual não foi o meu espanto quando abri a mochila para tirar livros/cadernos e lá estava ela…;

- Detestava que lhe mexessem na carapaça: levantava-se alta sobre as quatro patas e abanava-se de um lado para o outro como quem diz “pára lá com isso que faz cócegas!”;

- Detestava ser levantada só com uma mão. Sentia-se suspensa e começava a nadar no ar. Mau era quando as patas traseiras nos chegavam aos punhos e quase perfuravam a pele;

- Adorava dormir na minha cama. Ficava ali quieta ou colocava só a cabeça debaixo da almofada do lado. Era lindo…;

- Fora ir buscá-la para ver se estava tudo ok e os seus passeios da manhã, estava sempre escondida num canto. Detestava confusões e só se notava a sua presença diária quando tinha fome;

- Quando púnhamos roupa no chão para separar por cores não podíamos deixar o “monte” fora de vista pois corríamos o risco que ela se enfiasse para lá sem darmos por isso. Uma vez quase foi parar à máquina de lavar roupa…

Era uma tartaruga que mais parecia um cão. Farejava tudo. Adorava uvas, espinafres; detestava cerejas.

Era limpa com cotonetes e uma escova de dentes soft. Não falava, não se exprimia, mas em 15 anos deu-se a conhecer muito bem… E para quem só aparecia de manhã, já está a deixar muita saudade…

13Abr11

T. numa destas manhãs Smile
(1995-2011)

9 comments:

DoiSaboresELA said...

Uma companhia que deixa saudades de certeza...
Beijos doces

Pekenina said...

Deixa sim... Imensas...
Beijo e obrigada..

carpe vitam! said...

Tão gira! Que pena... ;(

Pekenina said...

Era muito peculiar, sem dúvida. Especial, como creio que são todos os animais de estimação. Mas a vida é assim mesmo. Faz-nos pensar na mortalidade das coisas...
Beijinho

carpe vitam! said...

talvez todas as tartarugas tenham as suas peculiaridades... ela era pequenina quando a recebeste?

Pekenina said...

Talvez tenham, não sei. Toda a vida só tive esta. Veio do tamanho de uma moeda de 20$00. :) Mesmo "Pekenina" :)

carpe vitam! said...

Que giro! será que as tartarugas se dão bem com gatos?

Pekenina said...

:) Não sei. A minha quando ficou grande e passou a andar em casa andava sempre escondida... Por isso não sei :)

Lipinha said...

A minha não é tão amigável... Não gosta que lhe mexam e se não tivermos cuidados com os dedos morde!!!