Tuesday, January 6, 2009

Vive...

Vive, dizes, no presente,
Vive só no presente. 

Mas eu não quero o presente, quero a realidade;
Quero as cousas que existem, não o tempo que as mede.

O que é o presente?
É uma cousa relativa ao passado e ao futuro.
É uma cousa que existe em virtude de outras cousas existirem.

Eu quero só a realidade, as cousas sem presente.
Não quero incluir o tempo no meu esquema.
Não quero pensar nas cousas como presentes; quero pensar nelas como cousas.
Não quero separá-las de si-próprias, tratando-as por presentes.

Eu nem por reais as devia tratar.
Eu não as devia tratar por nada.
Eu devia vê-las, apenas vê-las;
Vê-las até não poder pensar nelas,
Vê-las sem tempo, nem espaço,
Ver podendo dispensar tudo menos o que se vê.

É esta a ciência de ver, que não é nenhuma.

Alberto Caeiro

 

Como ele diz n'O Guardador de Rebanhos:

"Pensar incomoda como andar à chuva
Quando o vento cresce e parece que chove mais"

E tão bom que seria poder evitar pensar. Tantos problemas que evaporavam. (Desapareciam pelo menos as excessivas expectativas...)
Mas essa solução nem sempre é fácil. (Se é que é fácil em alguma circunstância!)

 

Quero ver apenas o que existe e nada mais além disso...

cenoura

Porque há-de ser uma Cenoura, mais que isso mesmo? (Isto é mais que uma Cenoura!)

 
Por isso me pergunto...
...Será esta uma filosofia de vida utópica?

Beijos SENTIDOS,
Pekenina

25 comments:

Marta said...

Nada é fácil....Será talvez um desafio....Nem sempre se encontra a resposta....mas podemos usar a imaginação e do mais vulgar construir o mais sofisticado...
Boa escolha para reflexão...
Beijos e abraços
Marta

Anonymous said...

Há muitas coisas que os nossos olhos não vêm, só a alma.
É preciso crescer, por dentro.
Bom Ano
Jay

BlueVelvet said...

Sempre achei que os que não pensam são mais felizes.
Não têm problemas existenciais, não se interrogam , não têm dúvidas nem angústias.
S-ao burros e limitam-se a passar pela vida.
Portanto, não temos escolha: temos que pensar.
Beijinhos

Pekenina said...

Marta: e usar a imaginação... não é pensar? :) Mais uma pergunta para reflectires ;)

Beijinho

Pekenina said...

Anónimo: Ora aí está dita uma grande verdade. E essas coisas que a alma sente e os olhos não vêem devem ser as melhores que a vida nos dá :)

Beijinho com votos de um excelente ano para ti e volta sempre.

Pekenina said...

BlueVelvet: os que não pensam não têm necessariamente que passar pela vida (ou ver a vida passar por eles). Essa é uma visão bem diferente (mais Ricardista. Se leres o poema "Vem sentar-te comigo Lídia, à beira do rio" de Ricardo Reis vais ver a diferença).
Não pensar não é estar-se desligado. Pelo contrário é estar-se ligado mas ao essencial :)

Mas claro, são pontos de vista :)

Beijinho

carpe vitam! said...
This comment has been removed by the author.
carpe vitam! said...

as expectativas, essas malandrecas... devia pensar, devia agir mais no presente ("pensar é estar doente dos olhos") mas não consigo deixar de pensar no futuro e preocupar-me. Acho que tenho de ler mais Alberto Caeiro. Gracias pelos poemas :)

Pekenina said...

Carpe Vitam!: às vezes parece mesmo impossível não pensar no futuro, mas sim... ler Caeiro ajuda bastante. Pelo menos... refresca a cabeça e recorda-nos que as coisas não precisam de ser assim :)

De nada... Obrigada eu! ;-)

Desabafos said...

...Porque adoro pipocas com sal, descobri-te.
Agradou-me a forma como escreves e demonstras sentimentos.
Voltarei!

doiSabores said...

Penso...logo existo dizia um senhor que me tirou algumas horas de sono a filosofia...
Mas nem sempre é bom pensar...Viver o dia à dia sem pensar nas consequências tb é bom... Viver a vida e pensar no essencial...isso sim dá trabalho...
Mas vale a pena tentar...
Beijos saborosos

Pekenina said...

Desabafos: Olha... somos duas! :) Com sal, ou mesmo doces, adoro aquele estalar na boca! Fico feliz por gostares deste espaço :) As portas estão abertas.

Welcome!

Beijinho

Pekenina said...

DoiSabores: muito bem "escrevido", sim :) e... "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" (ai tão pessoana que estou!)

Beijo bem doce

Sofá Amarelo said...

Puxa, tão complicada esta coisa de pensar, não é? Pensar para quê? Pensar só complica mais a vida, benditos dos que não pensam... também não vivem, mas não sofrem... tentemos não pensar... utopias utópicas...

Pekenina said...

Sofá Amarelo: será mesmo que não vivem? Ou vivem com outras preocupações que não as mais fúteis? :) Fica para pensares ;)

Beijinho

Mary said...

Coloquei esse poema num trabalho que vou entregar amanha. Oh era tudo tão mais fácil se recusase mos a metafisica por inteiro. "Pensar é estar doente dos olhos".. às vezes ponho me a pensar nisso mas a verdade é que eu já não consigo deixar de pensar. às vezes canso-me de pensar tanto . beijinho

Pekenina said...

Isso faz-nos mal não é? :)))

Beijinho*

Arthur said...

AFINAL QUEM É O aLBERTO cAEIRO?

Pekenina said...

Arthur: povavelmente um dos melhores escritores sobre filosofia de vida... na minha opinião, claro está.

Beijinho

Anonymous said...

Alberto Caeiro, é um dos heterónimos de Fernando Pessoa.

Heterónimo = Nome fictício adoptado por um autor na assinatura de uma obra,

Caeiro, o guardador de rebanhos.O mestre ingénuo.

Segundo Pessoa, este é o poema que melhor o define:

“Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem por que ama, nem o que é amar...”

http://www.prof2000.pt/users/jsafonso/Port/caeiro.htm

Ora aí está quem é Alberto Caeiro, é Fernando Pessoa.

Saudações poéticas

Pekenina said...

Anónimo: muito obrigada por esclareceres os que aqui passam sobre quem é Alberto Caeiro. Nem me lembrei de o apresentar :)

Saudações

PQ said...

Não pensar é já pensar, pensar em não pensar dá que pensar, pensar que pensar em não pensar é um pensamento profundo. Não pensar é...pensar no agir, é pensar sem pensar que se pensa, deixar o pensamento fluir sem pensar muito nele e sem que pensar nos pese. Pensar é por um penso na realidade e já agora, há realidade para além do pensar? Se não pensares a realidade, não terás realidade, só terás mecânica.
Com tanto pensamento as minhas conexões sinápticas começam já a ressentir-se da falta de acetilcolina, reclamando por um sono retemperador.
Bons pensamentos (seja lá isso o que for).

Pekenina said...

PQ: cum caneco... isso é que é filosofia pá :)) Até eu fico com o ritmo circadiano baralhado :) Vou dar descanso às sinapses (ou os neurotransmissores saem da fenda sináptica e perde-se!!) Ehehehehe

Beijinho e muito bem-vindo!

looking4good said...

Para quê pensar nas coisas se as coisas não pensam... se pensassem não eram coisas!

Pekenina said...

Looking: é verdade, sim... mas o Homem e a sua condição de insatisfeito por natureza são assim mesmo :P Mas captaste a essência ;)